Android desatualizado – De quem é a culpa?

como atualizar meu android

Primeiramente queria deixar claro algumas coisas:

  1. Eu não sou culpado do seu telefone Android não ter uma atualização oficial disponível para download;
  2. O mesmo é válido para este blog.
  3. Este “texto” é somente um “bate papo” entre eu, meus pensamentos e minha cabeça sobre as discussões que ocorrem na internet “worldwide” sobre o assunto.
  4. Eu, é claro, não sou dono da verdade. Acredite se quiser :)

Feito as devidas apresentações vamos ao nosso bate papo:

1. Android x iPhone:

Android x Iphone

São duas comparações totalmente diferentes pessoal (porem podemos compreender melhor o assunto abordando ela). Têm muita gente dizendo “porra” a Apple lança sempre uma atualização para o iPhone e eu que troquei meu iPhone em um Milestone (ou qualquer outro telefone Android) me ferrei. Vou explicar a diferença básica:

  • iPhone – Varias versões “complementares” que simplesmente corrigem bugs, aperfeiçoam features e adicionam usabilidade:
  • Android – Varias versões “complementares” que simplesmente corrigem bugs, aperfeiçoam features e adicionam usabilidade:

WTF? Qual a diferença então?! A diferença é que o iPhone é um aparelho celular criado pela Apple e o Android é um sistema “operacional” aberto criado comprado pelo Google e que muitos fabricantes de celulares estão usando.

Percebeu?! Então vou explicar: A Apple lança atualizações para continuar vendendo seus celulares, para faze-lo mais competitivos. As novas versões do Android são lançadas para aperfeiçoar a versão anterior.

2. Como uma nova versão do Android “vem parar” no meu telefone:

Este tópico pode ser um pouco complicado de explicar e entender, porem, quero tentar mostrar para vocês que não é tão simples quanto vocês pensam o processo:

Nova versão do Android ->Modulação para o seu aparelho -> remodelação para sua operadora.

Antes de mais nada vou explicar como funciona a linguagem Android.

Android é uma linguagem aberta, como o linux, isto quer dizer duas coisas.

  1. Funciona em quase qualquer “coisa” – veja “ele” rodando em um Nokia 5800;
  2. Você ou qualquer pessoa pode usar, modificar ou alterar seu conteúdo.
  3. O Android é um software basicamente feito com apontamentos. Você precisa somente apontar a ele a direção correta a seguir e ele vai la e faz (oi Android este é o teclado e quando alguém apertar aqui você liga a câmera).

Entendido isto vamos ao que interessa:

Quando o Google lança uma nova versão uma “loucura” generalizada acontece com os fabricantes;

  • Desenvolvedores da Motorola(exemplo) estudam e modificam esta “nova versão” para faze-la funcionar com aquela telefone “velho” (uma versão básica do Android x.xx milestone, isto quer dizer o que – Eles vão la entram no código explicam basicamente para o sistema que o teclado do telefone é assim, que o botão de tirar foto é ali, que o botão de ligar o telefone é la em cima e assim por diante.
  • Feito isto temos uma versão Android 2.2 Milestone – Uhulll vamos lançar ao público… NÃO!, a etapa citada acima é fácil, agora vêm a parte difícil:
  • O telefone reconhecendo e funcionando 100% com esta versão a Motorola agora novamente precisa chamar seus desenvolvedores para “ajustar” a nova versão de software ao “MotoAndroid”, isto é, fazer os widgets, funcionalidades, logotipo, musica, etc funcionar nesta versão e é claro também “portar” o famoso Motoblur para esta nova versão.
  • Quando a Motorola terminar de fazer isto ela passa para outro time que faz a adequação daquela versão de software para as operadoras do Brasil. Isto mesmo, um outro time vai la fica horas e horas mexendo no software do telefone para poder colocar o logo da vivo na entrada, adicionar alguns aplicativos que somente aparecem nos telefones da Vivo,etc.

Viu como é difícil?! Isto porque eu não disse que em todas as 3 etapas acima existe uma “penca” de engenheiros trabalhando em testes no telefone. Cada etapa destas muitos engenheiros do mundo inteiro com amostrar de engenharia ficam horas e horas fazendo rotinas de testes para saber se o aparelho não vai travar, rebutar, morrer ou até parar de funcionar se você executar um ou vários “comandos” ao mesmo tempo.

3. Tá então é culpa de quem?!

Rapaziada a culpa é do próprio Android. Por ser um sistema relativamente novo e com muita coisa “a aprender” ele passará por várias e várias versões até chegar a um ponto “final” de desenvolvimento onde todas as features e amadurecimentos necessários sejam implementadas.

Uma explicação básica para o problema: Você acharia certo criticar o pessoal da Mobits por ter criado um software gratuito para Android que funciona somente em telefones com Android 1.6+ ? É claro que não, uma vez que, eles disseram que existem funcionalidades necessárias para o programa rodar que somente foram implementadas nas versões 1.6 ou superior do Android.

4. Pensando no lado das operadoras:

De quanto em quanto tempo você troca o seu telefone?! Será que o tempo x dinheiro gasto em desenvolvimento pelas operadoras vale a pena? Pense da seguinte maneira. A Motorola vai lançar a atualização 2.2 para o Milestone, ela “joga” todos os seus engenheiros para trabalharem em cima desta atualização. Passado 1 mês “estamos” na segunda etapa (colocando a Motorola dentro da nova versão), BUM, o Google lança a versão 2.5 do Android… Ai meus amigos que mora o perigo. Você não mais vai querer que a Motorola lance a versão 2.2 para seu celular e sim que ela lance a versão 2.5.

Ficou claro o tamanho da dificuldade que deve ser para uma operadora atualizar o software do seu telefone com o Android “no ponto que está” ?!

5. Como será a relação Android x Montadora x Operadora no futuro:

Você será uma pessoa feliz, quando o seguinte acontecer:

  • O Android ficar maduro o suficiente e parar de ser lançado novas versões e começar a receber atualizações;
  • As montadoras terão criado um sistema “build to suite” das suas modificações que não passarão a ser simples modificações e ou implementações . (tipo um programinha que você faz o download no Market ou um widget, ou quem sabe um tema padrão);
  • As operadoras passarão pelo mesmo processo das montadoras e terão simplesmente alguns adicionais, ícones e outras baboseiras a mais que serão adicionadas facilmente ao seu telefone;

6. Entendi não devo comprar um Android hoje:

Não! Você entendeu tudo errado meu amigo. A única coisa que eu disse é que o Android hoje esta desatualizado. Ele ainda têm muito o que amadurecer e nós também. Você ligou na Samsung para reclamar que você comprou uma TV de LCD de ultima geração, gastou quase 8 mil reais nela e dois dias depois ela lançou a tv 3D? Não né?! (tenho certeza que deve estar fulo da vida, porem, vai vender a sua a um visinho, amigo, tio ou qualquer outro parente para comprar a mais nova). Pense o mesmo quando se tratar de um telefone celular.

PQP , você falou um montão de coisas e me deixou com muito mais dúvidas do que eu tinha antes. Bom, eu tentei ser o mais simples possível ao abordar este assunto tão complicado. Qualquer dúvida colocada aqui nos comentários serão respondidas (e se eu não souber vou pesquisar para tentar responder a vocês).

[EDITADO:]

7. Quanto custa para um fabricante “mudar o software”:

Olha que legal, entrei em contato com um amigo que trabalha na parte de homologação de telefones junto a Anatel e as operadoras e ele me disse algo muito interessante:

1- Não é necessário “re-homologar” o aparelho na Anatel se for lançado uma versão diferente de firmware para o telefone

2- Caso a fabricante XX que têm aparelhos nas operadoras Vivo, Oi, Tim queira lançar uma versão diferente de algum aparelho vendido por estas operadoras, ela, a fabricante precisa re-homologar o aparelho dentro da operadora.

2.1- Quanto custa isto?! +- têm um custo de 40 mil reais e leva-se em média 1 mês para fazer isto (por operadora).

Então pessoal temos uma nova visão do assunto né!? Mesmo vocês pensando, nossa , “somente” 40 mil? Quantos Milestones da Vivo será que a Motorola vendeu (para termos uma comparação do quanto isto custaria efetivamente por aparelho para a empresa)?