Samsung é líder em vendas de celulares em 2020 – Huawei despenca radicalmente

A firma especializada em análise de mercado, Strategy Analytics, publicou os seus estudos sobre o mercado de smartphones em 2020, além de divulgar as suas previsões do que deverá rolar em 2021. A categoria de celulares como um todo já está se recuperando das consequências da pandemia de Covid-19, com exceção de uma empresa: a Huawei.

A fabricante chinesa está sofrendo bastante as consequências do bloqueio comercial por parte dos Estados Unidos. A companhia havia enviado aos lojistas um valor estimado de 240,5 milhões de celulares em 2019.
Site oficial: Samsung Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra
Para 2020, esse valor deverá cair radicalmente para 192,7 milhões de unidades – o que é suficiente para mantê-la em segundo lugar, pouco à frente da Apple. Só que a verdadeira queda da Huawei deverá vir em 2021, quando se espera que a companhia só vai enviar 59 milhões de aparelhos para o mercado.
Caso isso aconteça, a empresa não apenas vai perder o segundo lugar no mercado global de celulares, como deverá cair para a quarta posição ou até abaixo. Isso porque tanto Samsung (295 milhões de celulares) quanto Apple (235,7 milhões) e Xiaomi (166,8 milhões) deverão vender mais smartphones em 2021.
Fonte: SA
Quanto ao mercado global, a soma de todas as vendas de celulares do mundo deverá cair 11% em 2020. Isso é um atestado da recuperação do mercado, já que a previsão anterior era de uma queda de 15,6% por causa da pandemia. As principais regiões de deverão contribuir para esse bom resultado deverão ser Estados Unidos, Europa e Índia.
A Samsung deverá terminar 2020 como a líder absoluta do mercado, enviando 265,5 milhões de celulares aos lojistas e tomando uma fatia de mercado de 21%. Já a Apple deverá ficar em terceiro lugar, com 190,1 milhões de dispositivos e 15,3% do mercado.
Continua após a publicidade

A Xiaomi é a quarta colocada, com 129,1 milhões de celulares enviados ao mercado. A expectativa é de que a quantidade total de smartphones vendidos em 2019 (1,41 bilhões) só será alcançada novamente em 2022 – quando os dispositivos com internet 5G e os dobráveis terão conquistado maior público.Via: GSMArena Fonte: Pulse News

Fonte: MundoConectado