Internet Society critica proibição do TikTok e WeChat nos EUA

Em carta aberta à comunidade global, a Internet Society, entidade internacional de direito digital, se manifestou na sexta-feira (18) sobre o banimento do TikTok e do WeChat dos EUA, após medida imposta pelo presidente Donald Trump.Veja também: Trump aprova acordo e adia veto do TikTok nos Estados UnidosYouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTokOracle desbanca Microsoft e vence disputa pelo TikTok

Em ordem executiva assinada em 6 de agosto, o presidente americano afirmou que “informações pessoais e proprietárias dos americanos” são captadas pelos aplicativos e podem estar sendo compartilhadas com a China, local de origem dos apps.

Nesse contexto, a entidade afirma que “a decisão do governo dos EUA de proibir o TikTok e o WeChat das lojas de aplicativos dos EUA é um ataque direto à internet. É uma medida extrema que prejudica fundamentalmente os alicerces da rede”, diz o comunicado.Para solucionar o problema, o presidente americano deu à ByteDance, empresa responsável pelo TikTok, a possibilidade de vender a plataforma a uma corporação norte-americana, na intenção de que ela administrasse os dados captados pela rede.Estimativas apontam que o Wechat possui mais de 1 bilhão de usuários no mundo, tendo a China como seu principal mercado. Foto: Reprodução

O comunicado da Internet Society continua dizendo que essa ação vai contra uma das principais políticas dos EUA.“Essa proibição total vai contra o compromisso dos Estados Unidos com uma Internet aberta. Se o governo quisesse apoiar uma Internet aberta, teria evitado esse caminho; em vez disso, primeiro teria tentado entender como tais ações podem afetar a Internet e realizado uma avaliação de impacto”, afirma.Segundo a ONG, para garantir que ações não danifiquem a estrutura que faz a internet funcionar para todos, é necessária uma avaliação de impacto sobre todas as políticas a serem adotadas ou regulamentações que tenham potencial de afetar a vida dos usuários.“Em uma época em que a sociedade depende cada vez mais da conectividade e das oportunidades que uma Internet aberta possibilita, essa mudança é contraproducente”, conclui.As plataformas tinham até a última quarta-feira (15) para concluir o processo de venda, sendo que a medida de banimento passaria a vigorar a partir do último domingo (20).Donald Trump adia vetoTendo em vista um acordo da Oracle e Walmart para administrar parte do TikTok nos EUA, Donald Trump adiou o veto que proibia o aplicativo do país. Com a decisão, o download segue disponível até o próximo domingo (27).O acordo entre as empresas pretende dividir o TikTok em três administrações: 7,5% para o Walmart; 12,5% para a Oracle, que deve fornecer infraestrutura em nuvem para hospedagem do aplicativo; e a maior parte restante, 80%, continua sob responsabilidade da empresa criadora, a ByteDance.

Fonte: OlharDigital