Covid-19: Robô que emite luz ultravioleta para esterilização entra em operação no Brasil

A empresa de biomedicina e tecnologia, Testes Moleculares, acaba de colocar em operação, na cidade de Salvador (BA), um robô que emite luz ultravioleta (UV-C) para esterilizar ambientes e combater as formas aerossóis da covid-19. Desenvolvido e já patenteado pela companhia, o protótipo, chamado Theo, será utilizado tanto nas operações da empresa quanto em serviços de combate ao coronavírus oferecidos ao setor de turismo e de eventos.
Comandado por meio de aplicativo, o robô fez sua estreia no hotel Gran Stella Maris, em Salvador, onde desinfetou todas as superfícies e ambientes de 134 quartos.
“Ao emitir ondas curtas da luz UV-C e circular pelos locais, o robô neutraliza as formas aerossóis do coronavírus e promove um processo de esterilização absoluta”, explica a Testes Moleculares.

O protótipo entra em operação no momento em que a empresa inaugura suas instalações no município de Lauro de Freitas, na Bahia, com seu laboratório de testes para covid-19. O objetivo é atender a população em programas patrocinados pelas empresas, que poderão promover a testagem gratuita para a comunidade ou para seus colaboradores.
“Com a chegada do Theo, ampliamos nosso arsenal de combate frontal à covid-19 e demais vírus, amparados fortemente no uso de tecnologias, como Inteligência Artificial e robótica, e também em uma estrutura completa e avançada de laboratório de testes moleculares” conta o CEO da Testes Moleculares e do Grupo ETG, Gabriel Rodrigues.
A proposta da companhia, que pretende trazer sua sede nos Estados Unidos para a Bahia, é intensificar o uso de tecnologia no setor de Saúde. “O Brasil tem profissionais capacitados, mas investe muito pouco em pesquisa e desenvolvimento e em tecnologias que poderiam acelerar novos tratamentos, e também contribuir para a retomada segura das atividades, destacadamente nos setores de hotelaria, turismo e eventos”, destacou Gabriel Rodrigues.
Estudos mostram que os raios UV-C são eficazes no combate ao coronavírus. Recentemente, cientistas da Universidade de Boston, nos EUA, realizaram pesquisas que validam a eficácia das fontes de luz ultravioleta na inativação do SARS-CoV-2.

Fonte: MundoConectado