Facebook permitiu centenas de anúncios enganosos sobre as eleições nos EUA

Leitura Rápida
Facebook permitiu a promoção de conteúdo falso nas últimas semanas
Financiamento parte de comitês dos dois candidatos: Donald Trump e Joe Biden
Um comitê Republicano lidera o gasto com posts enganososO Facebook teria permitido a criação centenas de anúncios mal-intencionados direcionados a eleitores de estados considerados decisivos para as eleições de 2020.
A propaganda parte de comitês de campanha de ambos os lados da corrida presidencial. Entretanto, uma análise dos dados mostra que o comitê America First Action, favorável ao atual presidente Donald Trump, lidera o volume de gastos e de visualizações de conteúdo enganoso com margem.
Os temas principais são o candidato democrata Joe Biden e o sistema de correios dos Estados Unidos, assunto recorrente em ano que parte dos eleitores votará a partir de casa.
Quanto ao público, os estados com número relevante de delegados e nos quais as eleições estão mais equilibradas são o foco, como a Flórida, Wisconsin e Ohio.
(Joe Biden e Donald Trump, protagonistas das eleições de 2020 – Créditos: Fox News)
A informação parte da rede CNN e conta com estudo dos dados feito pelo grupo Avaaz, que reforça ainda que as informações falsas ou imprecisas foram vistas mais de 10 milhões de vezes e grande parte ainda está ativa.
“Nós rejeitamos anúncios que possuam conteúdo que tenha sido desmentido em nossa plataforma pela checagem de fatos de nossos parceiros. Estamos revisando estes anúncios, os quais estão agora inativos, para determinar se eles deveriam ter sido rejeitados.””Nós rejeitamos anúncios que possuam conteúdo que tenha sido desmentido em nossa plataforma pela checagem de fatos de nossos parceiros. Estamos revisando estes anúncios, os quais estão agora inativos, para determinar se eles deveriam ter sido rejeitados.”

(Andy Stone, porta-voz do Facebook, após a publicação do artigo pela CNN)(Andy Stone, porta-voz do Facebook, após a publicação do artigo pela CNN)
De acordo com a análise da Avaaz, o comitê Stop Republicans, pró Biden, teria gastado US$ 45.000 para impulsionar 30 publicações desmentidas sobre o sistema de correios, obtendo cerca de 1 milhão de visualizações.
O America First Action, por sua vez, gastou US$ 287.000 em 450 anúncios contendo informações falsas ou enganosas sobre as propostas de Biden para taxação e imigração, temas caros para os Republicanos.
Com tamanho investimento, o comitê de propaganda pró Donald Trump alcançou mais de 9 milhões de visualizações.
É importante ressaltar que o comitê do partido Democrata gasta muito mais que o do Republicano: US$ 19,7 milhões contra US$ 2,6 milhões. Entretanto, a proporção de conteúdo considerado enganoso é muito maior nas propagandas pró Trump: 11% contra 0,2%.
Com mais uma eleição polarizada pela frente, os eleitores dos EUA se veem constantemente questionando as políticas das redes sociais.
Para evitar escândalos como os anteriores, a rede social de Mark Zuckerberg vem fechando o cerco sobre anúncios ilegítimos, fugindo da imagem de que é conivente com notícias falsas.
Há poucas semanas, as críticas estavam direcionadas ao Instagram. A rede social foi acusada de favorecer Donald Trump com seu sistema de hashtags, que direcionava muito mais críticas ao opositor Joe Biden.Fonte: CNN

Fonte: MundoConectado