Microsoft apresenta projeto de armazenamento de dados em cristais holográficos

A Microsoft anunciou esta semana uma nova pesquisa que pode trazer avanços significativos para o armazenamento de dados em nuvem.
O Projeto HSD foi apresentado na conferência Ignite e consiste na gravação de dados em cristais de nióbio e lítio. Tanto a gravação de dados quanto a leitura se dá por meio de feixes de luz que atingem o cristal.
O grande diferencial está no armazenamento de diferentes dados no mesmo ponto do material. Isso é possível simplesmente alterando o ângulo do feixe que faz a gravação ou a leitura.
(Equipamento utilizado no Projeto HSD – Créditos: Microsoft)
Conceitualmente, o armazenamento de dados por meio holográfico existe desde a década de 1960. As limitações técnicas foram a grande barreira para que o método ganhasse espaço, entretanto.
“A oportunidade de dar um novo olhar a uma velha ideia, o armazenamento holográfico, e reimaginar para a nuvem, onde nós temos a liberdade para inovar todo o bloco de armazenamento e trazer ideias de outros campos para tornar uma tecnologia viável é super empolgante””A oportunidade de dar um novo olhar a uma velha ideia, o armazenamento holográfico, e reimaginar para a nuvem, onde nós temos a liberdade para inovar todo o bloco de armazenamento e trazer ideias de outros campos para tornar uma tecnologia viável é super empolgante”
(Benn Thomsen, Pesquisador Senior)

(Benn Thomsen, Pesquisador Senior)
Com os avanços tecnológicos no ramo ótico avançando explosivamente, o interesse na ideia voltou à tona. As pesquisas com objetivo de melhorar as câmeras de smartphones tiveram papel fundamental para isso.
O vídeo a seguir detalha o funcionamento da tecnologia de armazenamento de dados:
(Créditos: Microsoft)
As pesquisas acontecem ao passo que a demanda pelo armazenamento de dados cresce. A Apple também vem reagindo ao mercado e aumentará seu investimento em data centers em US$ 1 bilhão, dobrando sua capacidade até o ano que vem.
A Google também trabalha ampliar seus serviços, e adicionou recentemente uma nova região de armazenamento na América Latina. Santiago, no Chile, receberá instalações do serviço de armazenamento em nuvem da corporação.
A Microsoft, por sua vez, parece ter o foco em novas tecnologias de armazenamento. Além do Projeto HSD, a gigante trouxe no fim do ano passado o Projeto Silica. A pesquisa envolve o armazenamento de dados em vidro, que preserva as informações por milhares de anos e pode ser uma boa opção para cold data.Via: Engadget Fonte: Microsoft

Fonte: MundoConectado